Valeu Rubens!

janeiro 19, 2012 Deixe um comentário

ImagemO GP do Brasil de 2011 pode entrar para a história do automobilismo mundial e principalmente Brasileiro, confesso que gostaria que essa data chegasse somente no final de 2012, quando Rubens Barrichello anunciasse a sua aposentadoria. 
Poucas pessoas podem realmente falar sobre F1 e menos pessoas ainda podem falar sobre Rubens. Lito Cavalcanti e Reginaldo Leme são algumas delas, alguns fizeram uma infeliz comparação de Barrichello com Patrese… Enfim, Rubens foi muito mais. Habilidoso, persistente e muito, mas muito técnico. Poucos sabem que ele teve pontos suficientes para ser campeão nas temporadas de 2002 e 2004, se não fosse o jogo de equipe, provavelmente teríamos um bicampeão mundial se aposentando no dia de hoje. Mas isso pode também ser conseqüência de um erro que ele cometeu durante sua carreira ao escolher a Ferrari ao invés da McLaren, talvez o único erro em sua grande carreira. 
Escolher a Honda ao sair da Ferrari não foi um erro, pois a equipe prometia um grande carro e a sua história no automobilismo passava toda a credibilidade da equipe Honda ser a próxima grande equipe da época, o que não aconteceu.
Barrichello sempre chamou a atenção, nunca foi mais um entre tantos, foi essencial para manter o país na F1, outros tantos brasileiros passaram por lá e saíram pela porta de trás sem nem ao menos serem lembrados. Rubens foi diferente.
No seu ano de estréia com o fraco carro da Jordan, que vivia com problemas no fraco motor, ele não pode fazer muito, apenas no GP da Europa, seu terceiro GP, em que chovia muito, largou em 12° já era o 4° colocado no final da primeira volta. Em seu segundo ano de F1 fez o terceiro lugar no GP do Pacífico no Japão, conquistou ainda a sua primeira Pole-Position em nada mais nada menos que Spa-Francorchamps.
Lembro também de grandes corridas com a Stewart, com o fraco motor, em Mônaco, Canadá e Áustria, boa parte delas ótimos resultados e ultrapassagem embaixo de muita chuva, habilidade extrema de Rubens.
Na Ferrari, todos sabem o que ocorreu, só precisamos lembrar que ele esteve constantemente entre os 4 primeiros colocados.
Em 2009, pela Brawn GP, Rubens teve a única e última grande chance, pós Ferrari, de fazer um campeonato limpo, sem grandes intervenções da equipe. Digo isso pois ele passou meia temporada lutando com que a equipe fizesse pequenas alterações nos freios e na suspensão de seu carro, ajustes que ao serem realizados, possibilitou Rubens em ganhar corridas e fazer poles.
Rubens Barrichello, Brasileiro, 326 GP’s, 68 Podiums, 14 Pole-Positions, 17 voltas rápidas e 19 anos de muita raça e talento para se manter competitivo na F1, reconhecido lá fora, “vilão” para os ignorantes do seu país.
O capacete azul e branco entrou para a história. 

Valeu Barrichello!!!

Imagem

Anúncios

Obama no Brasil

Obama chegou hoje (19/03) no Brasil com a agenda lotada em diversos compromissos e assinaturas de acordos nos mais variados setores.

Segundo a staff dos dois governos, o projeto F-X será tratado como assunto de segundo plano… será?

Indícios de que o governo americano, alem de oferecem um vantajoso acordo off-set e compensações comerciais, também ofereceria brindes gordos para a Marinha Brasileira, em torno de 11 navios.

Isso tudo sem mencionar, que recentemente a Boeing demonstrou um caça F-18 Super Hornet voando com bicombustível e em cores verdes. O jato foi abastecido com uma mistura de 50/50 do combustível aeronáutico verde” derivada do óleo camelina e combustível de aviação à base de petróleo.

F/A-18 Green Hornet

“Green Hornet”

A nova política americana quer aproximar os dois países e tenho certeza de que eles não vão poupar esforços para fechar os acordos que eles consideram como essenciais, como o F-X.

Em breve, teremos novidades por aí!

FAB e os cortes orçamentários

Essa semana o assunto mais badalado no meio militar Brasileiro, foram os cortes nos orçamentos das forças armadas, em especial na FAB.

O programa F-X2 que já se arrasta há 10 anos, está na mira da Presidente e para piorar, os cortes podem atingir os atuais meios aéreos da FAB.

Especula-se que os 12 Mirage 2000 B/C do 1° GDA, que seriam aposentados em meados de 2015, possam ser retirados de serviço já em 2011 por falta de verbas, deixando a primeira linha de defesa aérea do país novamente desprotegida.

Se isso ocorrer, voltamos a depender somente dos F-5 modernizados para a defesa aérea do país, bem como as demais missões rotineiras.

Em números, dos atuais 58 caças (F-5M + Mirage 2000) cairiamos para 46 caças capazes de realizar esse tipo de missão, logo que o A-1 (AMX) é um avião de ataque estratégico. Os atuais 46 F-5M estão divididos em 4 esquadrões, Canoas (1), Santa Cruz (2) e Manaus (1).

Com o remanejamento de caças para o 1° GDA, esse número subiria para 5 esquadrões, sendo que estes já sofrem com os ciclos de manutenção que em média tem 8-10 caças parados em manutenção completa. Portanto, são em torno de 35 caças para 5 esquadrões, 7 caças por esquadrão, sendo que cada esquadrão tem que manter 2 caças de prontidão e tem cerca de 2 deles em manutenção menores. Com isso restariam apenas 3 caças para realizar as demais missões e manutenção operacional.

Até o F-X2 chegar em definitivo, esse seria o cenário da FAB, com baixa operacionalidade e baixo número de horas de vôo e treinamento de seus pilotos.

Cenário esse que não combina com um país que almeja o conselho de segurança da ONU e que não permite o país falar “não” quando for necessário.

Seja lá qual for o resultado do F-X2, que seja rápido, pois em 2014 e 2016 teremos pouca ou nenhuma defesa aérea nos principais eventos internacionais que esse país já sediou.